VÍCIO ILUMINISTA

A objetividade em graus.

Uma verdade não se impõe a ninguém. Ela aparece por si própria

Quem diz “possuir a verdade” está provavelmente tentando alguma forma de “dominação”, impondo sua opinião própria aos outros como se fosse essa a única verdade (atitude normalmente vista por pessoas pre potentes e auto suficientes que em geral não abrem mão de estarem sempre certos e de terem sempre a última palavra).

Todas opiniões próprias não podem ser julgadas como verdade absoluta, nem relativa. Também não podem ser julgadas como não verdade. A realidade é que o julgamento atrapalha a compreensão e o discernimento na hora de uma discussão ou de uma troca de informações que sempre acabará em desafeto se usarem o julgamento pessoal como forma de avaliação.

thewallpinkfloyd

A natureza da opinião pessoal, como se formou e, consequentemente evoluiu através do tempo, passam a ser creditada como verdade, muitas vezes por falta de um argumento que traga uma pergunta a tal opinião. Algumas pessoas tentam assim imporem suas opiniões ao invés de simplesmente exporem suas ideias de uma forma discursiva (opinião X imposição).  A abertura para uma discussão sadia, onde a comunicação acontece, ouvir e discernir, comparar informações e, consequentemente, chegar a próprias conclusões por meio de um estudo bem intecionado daquilo que está sendo exposto e transmitido. Assim, talvez as pessoas possam distinguir o que mais se aproxima do que elas acreditam ser o “real”, usando o bom senso.

Padrão Iluminista

A opinião própria, sempre vai levar a pessoa até onde ela poderá obter bons resultados, não importando a veracidade dos fatos ou a realidade e opinião dos outros envolvidos no processo comunicativo ou em qualquer outra situação.

apagando o cerebro

Atentar para o “fato” de que a pesquisa deve ser influenciada por várias fontes de informações e a “conclusão”, por algum motivo o ser humano necessita de uma conclusão para tudo evitando uma futura evolução do assunto, depende exclusivamente do estudo e dos resultados atingidos com bom senso e cruzamento de diferentes fontes de opiniões. Isso poderá ocorrer se o “egocentrismo”, parte inerente do Iluminista, não entrar no contexto da formação de conceitos.

A pesquisa é quase totalmente Iluminista, pois o pesquisador, aquele que deveria ser um mero integrante de um grupo ou um mediador e responsável pela opinião final discutida, sempre se coloca a frente ou em uma posição “superior” a das outras pessoas envolvidas no processo.

No Iluminismo os auto-entitulados “intelectuais” se viam como seres iluminados pela razão que possuiam e o modo de articular suas ideias perante outros de forma persuasiva ou até mesmo, dependendo da situação, impositiva. Estas “entidades iluminadas” se separavam dos demais, os quais eram taxados como uma “massa de ignorantes” por não conseguirem debater certos assuntos ou até mesmo não pertencerem a uma certa classe social dita “elevada”.

O problema não é o grito dos mais fortes e sim o silêncio dos mais fracos.

Por portarem esta arma de destruição em massa chamada “razão intelectual”, estes Iluminados se prostavam como juizes de uma sociedade sem poder de resposta, sem argumentos, tímidos e acuados pela suposta e aparente ostentação de um poder invisível exteriorizado de forma impositiva. Este fato era aceito pois seus “concorrentes” estavam sempre a merce de uma “imagem de ostentação” e se achavam no direito de se calarem ao invés de se oporem ou discutirem com aqueles entes que estavam “além do bem e do mal”. Estes se denominavam “a verdade”, única e pura, irrefutável e indiscutivel.

Esta postura Iluminista pode ser vista abertamente hoje, em qualquer classe social, em qualquer casa, em qualquer fila de banco, em qualquer lotação do metrô, em qualquer esquina, em qualquer “papo de buteco”. Este “fenômeno” é fruto de indivíduos de mente fechada, parados no tempo e por final, “megaegomaníacos” de prontidão.

Muitas vezes esta situação é bem sútil e quase passa desapercebida pois muita gente está tão inclinada vendo os próprios pés que não são capazes de perceber a lavagem cerebral que está acontecendo de forma subliminar e numa dimensão universal. Existem camadas quase infinitas de ações “Iluministas” que são incutidas na mente das pessoas mais fragilizadas intelectualmente. Isto ocasiona uma repercussão em massa de pessoas sem poder de resposta que pode gerar uma multidão de “zumbis” que se servem da aparente ostentação propagada hoje por todos os cantos, de todas as maneiras. Todos parecem querer estar “por acima”, só não sabem do que muito menos pra que.

JqLxM

Sabendo disso, é imprecindível saber, ter a consciência de que a verdade é simplesmente um dos bilhões de pontos de vista que cada pessoa constrói. Avaliando por este ângulo, a verdade é individual e ao mesmo tempo irreal pois, quem acredita ser dono da verdade só está reforçando a escravidão intelectual de bilhões de pessoas. Um fato que perdurou por um longo tempo e é vista, subliminarmente, nos dias atuais.

Agora, lutar não é a solução pois, onde há luta há perdedores e vencedores e o que é interessante nesta situação toda, é que todos saiam satisfeitos com o resultado de uma situação onde há conflito de informações. Quem está acima do que é certo ou errado? Quem tem o real poder de decisão sobre aquilo que pode e o que não pode? Quem está acima de bem e do mal?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s