NIKITA NOMERZ – faces contagiantes

Nikita Nomerz é uma artista russa que transforma prédios abandonados e velhos em pinturas gigantescas de pessoas alegres. Sua arte transcende o ambiente artístico. Nikita pinta faces felizes e sorridentes em prédios antigos dando uma outra face para o lugar onde estes prédios estão. Um lugar frio e sem vida é radicalmente transformado por sua arte que na minha opinião é de extrema criatividade. Nikita leva alegria onde antes havia tristeza, coloca cor onde antes vingava o frio do cinza e do gelo nas paisagens obscuras da russia. Sua “Street art” tem influência no grafite. Com uma maneira interiamente nova, divertida e criativa ela dá vida ao que antes era morto. Através da arte Nikita pinta alegria e traça um caminho de esperança e felicidade num lugar onde a paisagem é tão obscura quanto gélido.

Em entrevista ela diz que não leva muito tempo para terminar o trabalho. “Tudo depende do tamanho do objeto e da sua ideia de intervenção para aquele lugar em particular”. Com certeza o que ela faz é muito mais do que simplesmente pintar faces alegres em prédios ou objetos largados a esmo. Nikita constrói uma nova realidade por onde aplica sua arte que transcende sentimentos e remodela realidades. Definitivamente, um sorriso vai ser criado no rosto das pessoas que apreciam sua arte, assim como nos objetos que ela intervem artisticamente. Através de uma técnica simples, com enfase nas idéias e no poder de sua imaginação ao invés de impressionar pela técnica apurada de seus traços, Nikita nos mostra que uma boa idéia pode transcender anos de técnica artística.

Eu fico lisongeado em poder entrar em contato com sua arte pois me fez re-pensar várias coisas que estão acontecendo comigo artisticamente. Uma arte pura, até infantil alguém pode dizer, mas altamente poderosa e extremamente feliz no resultado final. Ela escolheu a “mídia” exata para transcender suas idéias, torná-las viva. Nikita transformou em alegria as pálidas paisagens por onde passa e nos agraciou com tamanha felicidade que só um simples sorriso verdadeiro pode fazer.

Visite seu blog para ver mais imagens e outras informações.

Anúncios

francis bacon retrospective

Francis Bacon
Britain’s bad-boy painter, re-examined
Self-taught, controversial, and revered, Francis Bacon was one of the most talented figurative painters of the 20th century. This year, a major traveling retrospective marks the centenary of his birth.

He left home at 16. Banished by his father after being caught wearing his mother’s clothes, Bacon drifted between London, Berlin, and Paris for the next several years — surviving as a gambler and hustler.

Bacon got his start as a designer. He first gained notoriety for his modernist furniture and rugs, but quickly abandoned that career to focus on painting surreal, fragmented subjects, based on found photographs and reproductions.

He immortalized his fellow barflies. From the ’60s onward, Bacon painted twisted visions of his inner circle of drinking pals, including his lover George Dyer, who he first met when Dyer burglarized Bacon’s pad.

View work from Bacon’s traveling retrospective (and visit the exhibition in New York), read three classic interviews, watch video of the artist from the BBC archives, and buy the exhibition catalogue.

– Paul Laster